Bernard Appy | A convergência das reformas tributárias

Tempo de leitura: 2 minutos

VirtùNews entrevista Bernard Appy, diretor do Centro de Cidadania Fiscal e mentor da PEC 45 de autoria do deputado Baleia Rossi (MDB-SP). Appy acredita na chance de aprovação de uma ampla reforma tributária, resultado da convergência entre as propostas da Câmara e a do Senado.

Appy apresenta tantos os impactos diretos da reforma, quanto os impactos na dívida pública e nos setores de comércio e serviço. Ele também comenta a questão das zonas francas, o apoio recebido dos estados e a resistência encontrada em alguns setores do comércio.

Bernard Appy é economista pela Faculdade de Economia da Universidade de São Paulo (FEA-USP) e mestre Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Entre 2003 e 2008 comandou a Secretaria de Política Econômica do Ministério da Fazenda e a Secretaria Extraordinária de Reformas Econômico-Fiscais no governo Lula. Ao deixar o governo, Appy foi diretor de Estratégia e Planejamento da BM&F Bovespa e cofundador do Centro de Cidadania Fiscal (CCiF), think-tank independente com o objetivo de contribuir para o aperfeiçoamento do sistema tributário brasileiro.

1. Pontos de convergência entre as propostas do Congresso

 

2. O impacto no setor de serviços

 

3. A resistência em alguns setores do comércio


4. Os impactos diretos da reforma


5. O impacto na dívida pública


6. A guerra fiscal dos estados


7. A contribuição para redução do déficit fiscal


8. O apoio dos estados


9. A questão da zona franca


10. As chances de aprovação de uma reforma ampla

 

Compartilhe conhecimento