Pedro Vormittag | Os principais desafios do governo Biden e expectativas ao Brasil

Tempo de leitura: < 1 minuto

VirtùNews entrevista Pedro Vormittag, bacharel em Direito (USP), mestre em Gestão Internacional (FGV) e professor da Faculdade do Comérscio (FAC-SP), sobre desafios do novo presidente dos Estados Unidos Joe Biden. Não são poucos.

Poucos gostariam de ocupar o salão oval da Casa Branca neste momento. O novo presidente dos EUA têm quatro grandes crises pela frente. A começar pela distribuição das vacinas a curtíssimo prazo. Também estão batendo à porta de Biden questões nada triviais, como recuperação econômica, polarização, justiça climática e a corrida pelo protagonismo da economia verde.

Na conversa, Pedro também analisa os caminhos que se apresentam para o partido Republicano pós-Trump, o significado da vitória de Biden para o multilateralismo e expectativas para o Brasil.

Os principais desafios do governo Biden e expectativas ao Brasil

00:17 A distribuição das vacinas é o primeiro desafio de Biden
2:45 A justiça climática é o maior risco de segurança nacional nos EUA
5:45 A corrida pelo protagonismo da economia verde
6:46 A questão racial é uma agenda de longo prazo
8:25 A agenda de recuperação econômica
9:26 Quais os caminhos para o partido Republicano pós-Trump
14:20 O histórico de polarização da política americana
15:42 O significado da vitória de Biden para o multilateralismo
21:06 As questões globais são transnacionais
22:04 Política externa no Governo Bolsonaro
26:22 A decadente relação Brasil-EUA nos últimos 15 anos
28:46 Os desafios para a diplomacia brasileira no governo Biden
32:07 A agenda dos EUA na América Latina

Compartilhe conhecimento
Tempo de leitura: < 1 minuto
Curadoria
 

Seleção diária de artigos para enriquecer a discussão da agenda positiva do País

8/3 SEGUNDA

    1. NO ESTADÃO. Uma transformação muito positiva. Ao diminuir os incentivos a partidos nanicos, a cláusula de barreira é um passo importante para reduzir a atual fragmentação partidária.
    2. NO ESTADÃO. Almir Pazzianotto Pinto. O presidente e a reeleição. “Como a oposição lidará com o problema e se organizará em frente única, é difícil saber. Os adversários do presidente Jair Bolsonaro revelaram total incapacidade de comunicação com a opinião pública.”
    3. NO ESTADÃO. Fernando Henrique Cardoso. A epidemia e a política. “Por enquanto o que se vê é uma mídia quase unânime na crítica à falta de condições de quem nos governa para manter um mínimo de coerência na ação. É muito, mas é pouco. Enquanto não aparecer alguém com força para expressar outro caminho viável, o presidente leva vantagem.”
    4. NO ESTADÃO. A emancipação das estatais. Documento da OCDE alerta para os riscos do uso político das empresas estatais.
    5. Na FOLHA. Carlos Zarattini. As alterações previstas na Lei de Improbidade Administrativa são adequadas. Descrições dos crimes precisam ser mais objetivas, evitando subjetividades.
    6. NO ESTADÃO. Adriano Pires. Alertas sobre a MP de privatização da Eletrobrás. Privatizar a estatal é fundamental, mas não há espaço para aventuras, nem para milagres, nem para milagreiros.
    7. NO PODER 360. Alexei Macorin Vivan. É preciso reduzir os subsídios na energia elétrica.
    8. NO VALOR. Economia desacelera com falta de vacina. Economistas preveem recessão técnica como consequência da gestão do governo Bolsonaro em relação à pandemia.
    9. NO VALOR. Eduardo Matias. Por um marco legal mais ambicioso para as startups. Projeto encaminhado pelo governo ignorou temas tributários e trabalhistas.
    10. NA FOLHA. Samuel Pessôa. Artigo que caiu da PEC Emergencial diz muito sobre nós.
    11. NA FOLHA. Marcos Lisboa. O inferno são os outros. ‘As críticas às medidas para conter o crescimento do gasto público obrigatório são  rebatidas com a lembrança dos nossos problemas sociais. No fim do dia, contudo, a expansão permanente do governo termina sendo consumida por aumentos na despesa com servidores, com poucos avanços na qualidade da política pública.’
    12. NO ESTADÃO. Paulo Leme. Tamanho (do pacote) não é documento. Plano de auxílio nos EUA não foca no que é necessário: investir em infraestrutura.
    13. NA FOLHA. Guilherme Tinoco e Felipe Salto. Mário Covas deixou saldo de modernização da máquina pública.
    14. NO BLOG DO IBRE. Laísa Rachter. Igualdade de gênero traz benefícios também para a economia. 

Receba a curadoria todos os dias em seu email

Compartilhe conhecimento